Image and video hosting by TinyPic
Quinta-feira, 26 de Junho de 2014

SETÚBAL SEGURA SEGURO

 António José Seguro, 4ª feira em Setúbal, afirmou a centenas de militantes e simpatizantes socialistas que esgotaram o auditório de uma unidade hoteleira (mais de 480 pessoas, sem contabilizar as que estavam nos corredores!), que o PS nunca permitirá a inclusão da regra de ouro que limita o défice das contas públicas, que também faz parte da proposta de revisão constitucional do PSD/Madeira.

"Eu já disse há três anos que sou contra a inclusão dessa regra de ouro na Constituição. Bem sabemos que alguns socialistas, como Luís Amado, apoiante de António Costa, que defende, tal como a direita, a inclusão dessa regra de ouro na constituição", afirmou o líder socialista.

"Eles já têm uma maioria absoluta, um Governo, um Presidente, um Presidente da Comissão Europeia. Agora, querem extinguir o Tribunal Constitucional, o que significa transformar uma maioria absoluta num poder absoluto", disse António José Seguro, acrescentando que aquilo que o PSD quer verdadeiramente "é "extinguir a Constituição da República Portuguesa".

"Não é o Tribunal Constitucional que erra ao zelar pelo cumprimento da lei fundamental do País. Quem erra é um Governo que está sempre contra a Constituição, a violar a lei fundamental do País e a afrontar o Tribunal Constitucional", acrescentou o dirigente socialista, deixando duras críticas ao Governo PSD/CDS-PP.

Madalena Alves Pereira, presidente da Federação Distrital de Setúbal, apoia António José Seguro e garantiu que o secretário-geral conta com a sua "lealdade", admitindo ter ficado "perplexa" com as declarações de António Costa.

"Não é normal um partido ganhar duas eleições e estar a discutir a liderança. Até para quem tanto trabalhou nesta campanha, esta era a hora de estar a saborear a vitória em divergências", disse, recordando que a lista às eleições europeias "não foi contestada em sede própria".

Meia dúzia de conhecidos apoiantes de António Costa quiseram ver com os próprios olhos o grandioso apoio e afetividade que as gentes setubalenses  dedicam a António José Seguro. O calor, a empatia, os abraços e a força bem visível nas palmas e nas manifestações de solidariedade que militantes e simpatizantes não regatearam ao seu líder, deviam ter deixado os olhos em bico aos elementos conotados com a "brigada do reumático" que ainda sonha com um regresso ao passado e com o retorno das prerrogativas que sempre tiveram... Alguns mais espertalhões estão a deixar o campo confuso e oportunista dos amigalhaços de Costa e a passarem-se de armas e bagagens para o apoio a Seguro... é a dança das cadeiras, meus amigos, é a dança das cadeiras, como se nós não os conhecessemos e às suas verdadeiras intenções!... Mas como não acreditamos, como o Padre Américo, que há rapazes maus... recebemo-los de braços abertos, mas com um pé atrás, cá por coisas!...

Paulo Lopes, presidente da Comissão Política Concelhia (à esq.), foi, conjuntamente com Madalena Alves Pereira (na foto à dir.), líder da Federação Distrital, e com o Coordenador da Secção de Militantes, Acácio Lopes, os grandes obreiros desta enorme reunião de socialistas e simpatizantes, uma das maiores que desde sempre o PS mobilizou em Setúbal, tendo afirmado na sua intervenção que " quero deixar aqui e agora o meu testemunho porque apoio José Seguro como candidato a 1º ministro. Secretário-Geral já o é, foi eleito há menos de um ano, democraticamente e por larga maioria de militantes. Seguro encontrou um barco encalhado com uma tripulação desmotivada e uma grande descrença no futuro. Foram tempos difícieis, mas fomos conquistando a confiança do nosso povo, com a garantia de dar um novo rumo a Portugal. E vamos dar!"
Na foto, à dir., o Coordenador da secção de militantes da portela, Acácio Lopes, ao lado de um firme e antigo socialista barreirense
"Só podemos dar esperança ao País e aos portugueses, se formos credíveis e este é um trabalho de todos nós, socialistas. O nosso secretário-geral já deu o primeiro passo, ao separar claramente a política dos negócios!", acrescentou Paulo Lopes, que terminou a sua intervenção dizendo que "apoiamos Seguro, porque tem um projecto renovador, porque acreditamos nas suas capacidades e nos revemos na sua forma de fazer política, que recusa o bloco central de interesses que mina a confiança dos cidadãos, por isso o meu e o vosso apoio é uma forma de lhe dizer que tem a nossa firme confiança de que com ele ao leme do barco, o nosso Portugal tem futuro!"
:
Etc e Tal às 17:56

Link do Post | Comentar
partilhar
Comentários:
De António Pereira a 28 de Junho de 2014 às 00:17
"Não entendo por que é que António José Seguro insiste em trazer António Costa a debates. Não porque a coisa, os debates, não fossem eventualmente mais interessantes que uns empurrões, uns mails ou o fatal César. Não. Costa recusa-se a debates uma vez que o seu lance napoleónico-cartesiano assenta precisamente numa espécie de "tomada de assalto", sem direito a contraditório, com base no primado da primeira pessoa. Apesar de encher a boca de "ética republicana", Costa não passa prudentemente daí, de encher a boca. Por outro lado, com os media generalistas e não generalistas e os comentadores por natureza generalistas ao seu serviço, ao edil lisboeta basta-lhe aparecer no seu "espaço" de comentário televisivo semanal. E, mesmo aí, pode estar calado porque os outros dois debitam por ele. Se levasse a "ética republicana" a sério, Costa aceitava os debates e suspendia a sua participação na sicn. Mas, como dizia a outra, quem tem ética passa fome. Pelos vistos as escadas, para Costa, não têm degraus."
http://portugaldospequeninos.blogs.sapo.pt/as-escadas-de-costa-3615650

Comentar Post

SETÚBAL E ARREDORES - Cláudio Fernando:


SETÚBAL E ARREDORES - Cláudio Fernando:

.. ..

ARQUIVOS

 

Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30