António Costa esteve esta terça-feira cerca de uma hora reunido com o Presidente da República, saindo do Palácio de Belém sem prestar declarações à comunicação social.

O Presidente da República voltou esta terça-feira a receber o secretário-geral do PS em Belém, para o terceiro encontro entre os dois em cinco dias. António Costa chegou às 11h00 em ponto, sorridente, de pasta na mão. Disse "bom dia" e entrou directamente para a reunião sem prestar declarações aos jornalistas.

As garantias exigidas por Cavaco Silva ao PS já foram enviadas na segunda-feira por carta. O conteúdo não foi divulgado pelos socialistas.

De acordo com a imprensa desta terça-feira, na carta enviada nas últimas horas para Belém António Costa não dá garantias adicionais e reafirma que o PS está em condições de assumir uma governação estável e duradoura nos próximos quatro anos.

Na segunda-feira, Cavaco chamou Costa a Belém, tendo pedido uma clarificação formal de seis questões relacionadas com a aprovação de moções de censura, Orçamentos do Estado, regras de disciplina orçamental e compromissos internacionais designadamente em matéria de defesa.

São questões que, para o Presidente da República, estão omissas nos acordos assinados entre PS, Bloco de Esquerda e PCP.

Portugal aguarda há 13 dias por um novo Governo, depois da queda do executivo minoritário do PSD/CDS-PP, no Parlamento, com os votos da maioria de esquerda (PS/PCP/BE/Os Verdes).

O encontro com o secretário-geral do PS segue-se às 31 audiências realizadas por Cavaco Silva com confederações patronais, associações empresariais, centrais sindicais, banqueiros, economistas e partidos representados no Parlamento eleito nas legislativas de 4 de Outubro.